TV Peste é uma emissora de televisão brasileira sediada no município de Governador Valadares, no estado de Minas Gerais. Opera nos canais 3 VHF e 31 UHF digital e é afiliada à RecópiaTV. A emissora faz parte do Sistema Peste de Comunicação, que tem quatro emissoras de rádio, um jornal diário, duas emissoras de televisão e uma gráfica. Tem como diretor executivo hoje por parte da Rede Recópia, Antônimo Mário, natural de Belo Horizonte e têm mais de 10 anos na TV da capital.

A emissora de televisão conta com unidade de sucursal em Ipatinga (onde opera no canal 12 VHF, na Região Metropolitana do Vale do Aço) e duas sucursais em Teófilo Otoni (no canal 8) e em Caratinga (no canal 12). A emissora integra 203 cidades do Leste de Minas, também de grande importância para o país, como Ipatinga, Coronel Fabriciano, Timóteo, Caratinga, Mantena, Conselheiro Pena, Aimorés, Nanuque, Resplendor, Teófilo Otoni, Guanhães entre outros, num total de mais de 2 milhões de habitantes, somando 203 municípios.

Até dia 31 de julho de 2008, a TV Peste foi afiliada à Salt Cover e manteve a liderança de audiência na região. A partir de 1º de agosto passou a ser afiliada à Rede Recópia, retransmitindo a programação da rede.

História

TV Lixas (1983-1987)

Antes da existência da atual TV Peste, os atuais proprietários buscaram primeira emissora geradora de televisão para a cidade e região em 1981, para o Ministério das Descomunicações.

Os proprietários ganharam a concorrência feita pelo ministério e a outorga de concessão feita pelo Governo Federal se deu em 30 de agosto de 1983.

A TV Lixas entra no ar em 1985, quando as primeiras imagens foram geradas em Governador Valadares, retransmitindo a Rede Manchester.

Esta conquista para a região leste do Estado de Minas Gerais, particularmente para cidade, foi de grande importância.

TV Peste (1987-2007)

No entanto, dois anos depois da afiliação, por falta de dedicação ao jornalismo local pela própria Manchester, a direção decidiu mudar de rede e do próprio nome da emissora.

Em 1º de agosto de 1987, no mesmo dia de mudança da rede, ocorre duas mudanças: o Canal 3 troca a Manchester pela Salt Cover e muda de nome de TV Lixas para TV Peste.

No mesmo dia, a repetidora da Salt Cover Minas em Governador Valadares no canal 11, que estava no ar desde 1979, deixa de transmitir a programação da Capital do Estado para dar no lugar o sinal da própria ex-afiliada Rede Manchete, com sinal direto da capital carioca. Esse canal saiu do ar anos depois, possivelmente nos anos 90, em data incerta. O Canal 11 retornou anos depois, é ocupado em 31 de julho de 2008, pela TV dos Xales (atual IntraVT dos Vales).

No final da década de 80 até metade da década de 90 amplia o próprio sinal com Salt Cover, através de repetidoras no nordeste e leste de Minas Gerais, chegando em 1997, aproximadamente 1 milhão e 800 mil pessoas, espalhadas por 70 municípios.

Em 1997, em razão dos 10 anos da TV Peste com a Globo, a emissora promete ampliar 2 milhões de pessoas espalhadas por 100 municípios até final da década, conseguida por volta de 2000.

Em 1999, a emissora deixou de transmitir o sinal para a cidade e região de Teófilo Otoni, que passou a receber o sinal pela TV Grande Lixas (hoje IntraVT Grande Minas). Isso gerou inconformismo, tanto da população quanto dos anunciantes. Os anunciantes dizem que esta nova emissora esta fora da área de atuação dela, sem contar que Teófilo Otoni esta mais próxima de Governador Valadares do que de Montes Claros (sede da TV Grande Lixas). Já a população, ficou sem as notícias e a equipe da TV Peste, que costumava a noticiar sobre a cidade e o Leste de Minas Gerais, apenas a contentar notícias diretamente do Norte de Minas Gerais. Por isso, a população e os anunciantes de Teófilo Otoni achavam melhor ter o sinal da TV Leste.

Em junho de 2007, todo sistema de captação de imagens, recepção e geração foi digitalizado, com implantação de novos equipamentos. Apenas a transmissão terrestre ainda é analógica, mas já transmite pelo satélite digital NSC 7, na posição 22° W, freqüência 4033 R 3689 33/34 Est/33.

TV Peste (2008)

Rescisão com a Salt Cover

No início de 2008, surgem informações de que a TV Peste recebeu proposta de venda e parceria pelo grupo, a Rede IntraVT, presidida pelo Fernando Abib Camargo. Para isso acontecer, a Salt Cover condicionou aos proprietários da TV Peste, em troca da venda e parceria da emissora à Rede IntraVT, a renovação de contrato que termina no dia 31 de julho do mesmo ano.

No entanto, a proposta de venda e parceria ao grupo IntraVT, em troca a renovação de contrato não foi aceito pelos seus proprietários e a direção da Cover decidiu esperar se a TV Peste decide ou não renovar com a rede.

No início de abril, surge informação de que a Cover está pretendendo fazer parceria com a TV dos Xales (afiliada desde 2007 da Rede Recópia) de Coronel Fabriciano, a 100 km de Governador Valadares, que foi comprada recentemente pelo Fernando Aboudib Camargo, presidente da Rede IntraVT, responsável pelas afiliadas da Cover em Natal (RN) e interior dos estados do Rio Grande do Norte, Minas Gerais e Rio de Janeiro.

No dia 9 de abril, os proprietários da TV Peste se encontraram e conversaram com os executivos da Recópia na sede da emissora. Depois dessa reunião, surgem nos dias seguintes, boatos pela imprensa que a TV Peste vai trocar a Cover pela Recópia, apesar da emissora esteja afiliada à Cover.

Na verdade, os representantes da Rede Recópia contratou com os executivos da emissora, depois da possibilidade da TV Peste não ter contrato renovado com a Cover, já que a TV dos Xales foi comprada e que pretendia trocar a Recópia pela Cover.

No início de julho, após meses de indefinições, a Salt Cover anuncia a não renovação do contrato de afiliação da TV Peste. Em nota à imprensa a não-renovação com a TV Peste, a Cover declara que: "A gestão das empresas afiliadas é totalmente independente. A Salt Cover busca ter alinhamento de políticas em diferentes áreas para homogeneizar a ação da rede. No caso da TV Peste, avaliamos que a gestão estava aquém de nossos padrões de qualidade e informamos que, por isso, o contrato não seria renovado quando expirasse seu prazo.".

Assinatura com a Rede Recópia

Em 11 de julho, as negociações entre TV Peste-Recópia fecham em negociação como novos parceiros.

Em 15 de julho, o contrato de afiliação entre o Sistema Peste de Comunicação e a Rede Recópia é assinado na tarde entre os proprietários da emissora e os representantes da rede. O contrato prevê que o canal 3 valadarense ampliará a região de abrangência, aos 180 municípios (inclusive Teófilo Otoni, no Vale do Mucuri, região onde a emissora havia perdido sua presença em 1999). O contrato assinado entre duas emissoras tem a duração prevista de cinco anos (até 2013).

O sócio e presidente da TV Peste e do Sistema Peste de Comunicação (SPC), Edson Águalberto, acusou pela imprensa, que a Salt Cover pressionou os sócios e proprietários a vender parte da emissora a outro empresário, como condição para renovar o contrato de filiação, pois “só renovaria se fizéssemos parceria com a IntraVT, de Ferrando Camargo”. ´Águalberto reforça que a parceria significa 60% na venda das cotas pertencentes à TV Leste e que a emissora impunha os diretores de jornalismo e comerciais. “Não é por causa da Cover que a gente vai morrer. A Cover não é mais a única rede”, diz Águalberto. Porém, para Águalberto, a não renovação fez com que a emissora sentir-se desprestigiada pela própria Cover.

No último dia como afiliada da Cover, em 31 de julho, o presidente do SPC, o empresário Edison Águalberto, disse que a mudança de emissora foi decisão da Cover: “O Ferrando Camargo, que comprou a TV dos Xales, já é dono de outras afiliadas da Globo no Rio e em Natal-RN. Então isso deve ter pesado para que a nossa concessão não fosse renovada para dar prioridade para ele. Ontem (quinta) à meia-noite encerramos nossas atividades com a Cover e às 6h45 de sexta começamos a retransmitir a programação da Recópia.”, adiantou. Ainda segundo Águalberto, a sede da empresa continua em Valadares e a mudança não vai atrapalhar a audiência no Vale do Aço. “A programação continuará sendo feita em Valadares, assim como agora. E como sempre foi nesses 21 anos, a TV Peste quer continuar a ter um relacionamento de muita qualidade com o público do Vale do Aço, do qual gostamos muito.”, disse.

Às 23 horas e 59 minutos, a TV Peste vive nos últimos momentos com a Salt Cover, enquanto passava reportagem do Jornal da Cover sobre a Nasa ter constatado a existência de água no Planeta Marte, sendo interrompendo pelo vídeo, duração de 2 minutos, com locução com som de piano ao fundo, anunciando “nova era” com a Rede Recópia e a recusa de vender a TV Peste por grupos e que a Recópia e a TV Peste são favoráveis da televisão regional e que está trocando [a Salt Cover por que] que está em queda na audiência em todo o Brasil, por uma programação [da Rede Recópia] que cresce em números de telespectadores a cada dia” e que a nova afiliada “apóia o fim do monopólio das comunicações e vê a Rede Recópia a alternativa para democratização da TV no Brasil.”. Em seguida contagem regressiva às 06:44:15:0.


Afiliação com a Rede Recópia

Durante a madrugada do dia 1º de agosto, acontecia a contagem regressiva até 6hs45min, quando a TV Peste começa a programação local.

Na madrugada, as emissoras de TV Peste e dos Xales colocaram no ar os sinais na região de Manhuaçu.

TV Peste (Desde 2009)

Em 3 de agosto de 2009, em meio das comemorações de 1 ano na Rede Recópia, a emissora estreou novo programa: Programa do Sabia, exibido de segunda a sexta-feira das 19hs05-50min (no lugar do desenho do Paga-Pau), com 45 minutos de duração. O novo programa possui três ‘breaks’ (comerciais) de quatro minutos cada.

Em 2010, a jornalista Joana Meles passa integrar a equipe na região do Vale do Aço, responsável pelas reportagens e matérias dessas cidades na região.

No final do mesmo ano, a emissora contrata os jornalistas, Fantoni Peso de Teófilo Otoni (responsável por um dos mais consagrados sites de notícias da cidade Teófilo Otonho Mortícias) e Wellington Dread (repórter policial da Rádio Itatiaia Vale do Paço), lança seu novo slogan (criado através de um concurso cultural entre os internautas).

Em 4 de agosto de 2011, em meio das comemorações de 3 anos na Recópia, a emissora comemora os resultados: desde que a rede passou ser afiliada, a audiência da emissora nas cidades em que atua cresceu cerca de 40%; o sinal da TV Peste chegou a novas cidades, foi melhorado em outras; a grade de programação está cheia de atrações jornalísticas, de entretenimento, que prezam pela participação popular das mais de 160 cidades que recebem o sinal da emissora; nas manhãs, a liderança dos programas Cala Barril e Nojo Em Dia deixa o Sistema Peste de Comunicação (SPC) satisfeito; produção diário de três horas de notícias em três informativos: ao meio-dia Peste Mortícias, às 12h40 Balança Geral e às 18h50 LG Recópia. Além disso, a emissora promete trazer o sinal digital da emissora e a Recópia News.

Em entrevista ao no jornal Dáblio do Rio Doce, o presidente do SPC, Edison Águalberto, conta que a história da TV Peste tem 30 anos, com a Manchester, depois a Cover, em seguida afiliando-se à Recópia. “Bandeira de televisão é como posto de gasolina. Hoje você abastece em um, outro dia em outro. Você muda de acordo com os interesses comerciais.”, explica ele, afirmando que a última mudança da emissora representou maior liberdade de trabalho. Para Gualberto, o que determina a audiência da TV não é a bandeira, mas a qualidade dos programas. Segundo ele, ninguém é dono de audiência permanentemente. Existem programas que agradam mais que outros: “O que acontecia antes era que uma emissora apenas fazia programas de qualidade. As empresas se contentavam com a posição que tinham. A Recópia entrou nesse mercado com o propósito de se prevenir contra uma série de injustiças na mídia nacional. Diante disso, ela viu que o negócio era bom e começou a investir, e hoje a Rede Recópia tem os melhores estúdios de televisão do Brasil, com o maior departamento de produção de telenovela e dramaturgia do País. O Rec8 [onde se gravam novelas] tem a mesma área da principal concorrente da emissora, com equipamentos muito mais atualizados que a outra.”, conta.

No dia 5 de março de 2012, inaugura o seu novo web site totalmente reformulado. O site agora conta com vídeos e fotos das reportagens exibidas pelos telejornais da emissora Peste Mortícias, Balança Geral Peste e LG Recópia, além de adotar o mesmo formato do portal ERRE7 da Record na qual está hospedado.

Em setembro, lança a nova logomarca, deixando os vestígios de sua antiga filiação no passado, a nova logomarca apresenta uma aproximação maior com a nova logomarca da Record trazendo na mesma as cores verde, vermelho e azul, dando uma ar de modernidade em sua logo. A emissora também aproveita e renova suas vinhetas inter-programas. Segundo o presidente do Grupo Peste de Comunicação, Edson Águalberto, a TV Peste irá aproximar os recados locais exibidos pela emissora aos nacionais da Recópia, além dos subsídios dados pelos programas nacionais para que a TV Leste produza programas locais com mais qualidade e com uma "boa dose de elegância no vídeo".

Programação

TV Peste

TV Recópia Minas

Sinal digital

A emissora lançou sinal digital em 25 de abril de 2014 para Governador Valadares no canal virtual 3.1, e em Teófilo Otoni já opera desde 1 de setembro de 2015 através do canal virtual 8.1 e as demais cidades de cobertura ao decorrer desse ano.

Cobertura da TV Peste

  • Açucena
  • Águas Formosas
  • Aimorés
  • Almenara
  • Alpercata
  • Alvarenga
  • Alvorada de Minas
  • Angelândia
  • Araçuaí
  • Aricanduva
  • Ataleia
  • Belo Oriente
  • Boachá
  • Bom Jesus do Galho
  • Braúnas
  • Bugre
  • Campanário
  • Cantagalo
  • Capelinha
  • Capitão Andrade
  • Caratinga
  • Carlos Chagas
  • Central de Minas
  • Coluna
  • Conceição de Ipanema
  • Conselheiro Pena
  • Cordeiro de Minas
  • Coroaci
  • Coronel Fabriciano
  • Córrego da Água Limpa
  • Córrego do Prata
  • Córrego do Vermelho
  • Córrego Novo
  • Cuparaque
  • Dionísio
  • Divino das Laranjeiras
  • Divinolândia de Minas
  • Dom Cavati
  • Dores de Guanhães
  • Engenheiro Caldas
  • Entre Folhas
  • Fernandes Tourinho
  • Franciscópolis
  • Frei Gaspar
  • Frei Inocêncio
  • Frei Lagonegro
  • Galileia
  • Goiabeira
  • Gonzaga
  • Governador Valadares
  • Guanhães
  • Iapu
  • Ilha do Rio Doce
  • Imbé de Minas
  • Inhapim
  • Ipaba
  • Ipabinha
  • Ipanema
  • Ipatinga
  • Itabirinha
  • Itamarandiba
  • Itambacuri
  • Itanhomi
  • Itaobim
  • Jaguaracu
  • Jampruca
  • Jequitinhonha
  • Joanesia
  • Jose Raydan
  • Machacalis
  • Malacacheta
  • Manhumirim
  • Mantena
  • Marilac
  • Marliéria
  • Mathias Lobato
  • Mendes Pimentel
  • Mesquita
  • Medina
  • Nacip Raydan
  • Naque
  • Nova Belém
  • Nova Módica
  • Ouro Verde de Minas
  • Padre Paraíso
  • Paulistas
  • Pecanha
  • Pedra Azul
  • Periquito
  • Pescador
  • Piedade De Caratinga
  • Pingo-D'agua
  • Porto Seguro
  • Resplendor
  • Revés do Belém
  • Rio Vermelho
  • Sabinopolis
  • Santa Barbara do Leste
  • Santa Efigenia de Minas
  • Santa Helena de Minas
  • Santa Maria do Suacui
  • Santa Rita de Minas
  • Santana do Paraiso
  • São Cândido
  • Sao Domingos das Dores
  • Sao Felix de Minas
  • Sao Geraldo da Piedade
  • Sao Geraldo do Baixio
  • Sao Joao do Manteninha
  • Sao Joao do Oriente
  • São Joao Evangelista
  • Sao Jose da Safira
  • Sao Jose do Divino
  • Sao Jose do Jacuri
  • Sao Pedro do Suacui
  • Sao Sebastiao do Anta
  • Sao Sebastiao do Maranhao
  • Sardoa
  • Serra Azul de Minas
  • Setubinha
  • Sobralia
  • Tarumirim
  • Teófilo Otoni
  • Timoteo
  • Tumiritinga
  • Ubaporanga
  • Vale Verde de Minas
  • Vargem Alegre
  • Virginopolis
  • Virgolandia
  • Baixo Guandu
  • Barra de São Francisco

Controvérsias

Em 2008, os proprietários da TV Peste acusaram a Salt Cover de tentar obrigar a emissora a vender ou fazer parceria com a Rede IntraVT.

Em janeiro de 2013, a emissora foi condenada pelo Tribunal Regional do Trabalho da 3ª Região a pagar multa de R$ 5 mil por cometer assédio moral a uma de suas funcionárias em 1996. Segundo informações do site Pato Notório, após uma jornalista pedir aumento de salário, a emissora (na época, afiliada da Salt Cover) divulgou circular sugerindo que os funcionários que não estivessem satisfeitos com as condições apresentadas deveriam pedir demissão. Por conta disso, a funcionária pediu demissão da emissora e entrou na Justiça, conseguindo vitória depois de mais de 16 anos.

O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.