Salt Cover - Cover
TipoPrivada e urinol
País Brasil
Disponibilidade YouTube e Dailymotion
Proprietário Igor C. Barros
Data de Lançamento 32 de quatrembro de 1948
Nomes Anteriores Verco Tals,Salte Cover,Television in tests
Programação Vinhetas, programação gráfica e chamadas para programas que ninguém viu
Slogan Cover e você, Nada a ver
Website http://cover.sem


(A-) Fundação

A televisão Salt Cover foi fundada no dia 32 de quatrembro de 1948 pelo magnata das comunicações e também desenhista de embalagens de picolés Jornaleiro Roberto Gómez Marítimo.

A Salt Cover foi a primeira rede de televisão do Brasil, apesar de tecnicamente a TV só ter começado no país em 1950 e ter sido vista por meia dúzia de gatos pingados em sua inauguração.

Em sua primeira exibição já mostrava imagens a cores, apesar de àquela época ainda não ter sido inventada a antena para transmissão de imagens coloridas.

A programação de seu primeiro dia é uma espécie de elo perdido já que os telespectadores da Salt Cover, desde o seu primeiro dia no ar, só lembram das suas bem-feitas vinhetas e traquitanas gráficas.

(Senta que lá vem a) História

Os primeiros meses da Salt Cover foram muito difíceis, mas também não há registros disso, afinal, o Videotape ainda não tinha sido inventado na época. E ainda que tivesse sido inventado faltaria dinheiro para comprar tal equipamento.

Mas, a ideia da Cover era ser muito mais que alguma coisa brilhando na tela de um aparelho televisor. Para isso a emissora contratou alguns promissores estudantes recém-saídos da faculdade de engenharia (era o curso mais próximo de comunicação que exista até então). Foi assim que os famosos Pedro Penélopes, Gans Bonner e o astro maior de sua constelação criativa, José Delfin Producciones, um mexicano revolucionário que criou a computação gráfica a partir de máquinas de calibrar pneus, chegaram a Cover. À época, os profissionais que eram contratados achavam o nome da empresa meio estranho para uma emissora de TV...


Espetáculo do crescimento

Com a filosofia de que nenhuma vinheta poderia ser desperdiçada e de que é possível fazer uma televisão apenas com computação gráfica, a Salt Cover cativou o público através dos anos.

Somando-se a isso um time com a criatividade a flor da pele, a Cover foi lançada ao estrelato. Em 1949 a audiência da Cover teve um crescimento de 100% atingindo 2 casas. Não, não duas casas decimais. Duas casas mesmos. A de seu dono, Jornaleiro Roberto Gómez Marítimo, e a de seu vizinho, que então importou (sem pagar impostos) seu primeiro aparelho televisor.

A caminho da liderança

Vinheta atrás de vinheta, a Salt Cover atingia todas as camadas do folhado de queijo com presunto que é a sociedade brasileira. Num lance de gênio, em 1975, José Delfin Producciones chamou a atenção do mundo a algo o qual ninguém tinha reparado: A terceira dimensão. A Cover foi a primeira tv do mundo a ter vinhetas no que chamamos hoje de 3D. A partir de então, todos viram um mundo novo através da tela da Cover: eram bolinhas metálicas flutuando sobre cidades futuristas, bolinhas metálicas sobrevoando um planeta fututista e bolinhas metálicas passeando sobre um chão de triângulos futurista. Com isso a Cover superou todas as demais TVs e alcançou a liderança num mercado até então pouco desbravado: o de bolinhas metálicas que voavam por propulsão própria.

Tele-Mansell

Pouca gente sabe, mas a Salt Cover teve sérios problemas de falta de dinheiro (não que isso fosse novidade, mas no começo da década de 1990 a situação estava pior). Com a caderneta de poupança confiscada por 18 meses, a emissora ficou quase sem um tostão! E ela chegaria a pedir falência, não fosse uma ideia de gênio de Chrystian Cover Jr. (filho de um dos primeiros executivos da Cover, Chrystian Cover) que salvou as finanças das Organizações Cover!

Inspirado nas loterias do Banco da Inglaterra, que realizava os sorteios das loterias Mega-Prost e Duplo-Prost, Chrystian Jr. criou o Título de Descapitalização Tele-Mansell, que consistia em cartelas vendidas a preços altos, que dava direito ao incauto cliente participar de 4 sorteios, com 9 bolas de isopor cada, que rolavam em caminhões de mistura de cimento - pois eram muitas bolas. O objetivo era acertar todos as números da cartela (geralmente uns 50, eles nunca foram bons em matemática) que era indefinida, nem o pessoal da Cover sabia com certeza quantas bolas eram no total - só sabiam que qualquer uma poderia ser sorteada, fosse ela algarismo, número romano, alogarítmo, radiano, decimal ou até o número do pi!

Alguns criticam por acharem que se trata de enganação, pelo fato dos ganhadores somente saberem que se trata de descapitalização quando acham que vão receber os prêmios de mais pontos, menos pontos, ou, do Prêmio Instantâneo com Achocolatado (que consiste em raspar a cartela aqui, ali e acolá até achar o prêmio ou rasgar a porcaria de papel cartela - vale o que chegar primeiro). Mas o pessoal da Cover nem dá bola, afinal, são poucos os ganhadores mesmo, pode abafar...

Graças ao sucesso da Tele-Mansell, as Organizações Cover jamais passaram fome de novo, sobrando até uns trocados, o suficiente para construir o novo complexo de estúdios da emissora - para gravação de novelas, programas de auditório e afins - em 1995, o chamado PROFEV (Projeto Ferro Velho).


Atualmente, são 12 as campanhas de sorteios da Tele-Mansell, uma para cada mês:

Tele-Mansell de Ano-Velho - Janeiro

Tele-Mansell de Carna-á-Vácuo - Fevereiro

Tele-Mansell de Fórmula 1 - Março

Tele-Mansell do Ovo de Pernil - Abril

Tele-Mansell das Babás - Maio

Tele-Mansell do Quentão Sabor Rojão - Junho

Tele-Mansell do Recesso Parlamentar Remunerado - Julho

Tele-Mansell dos Cunhados - Agosto

Tele-Mansell da Dependência - Setembro

Tele-Mansell do Dia das Crianças - Outubro

Tele-Mansell de Vera Verão - Novembro

Tele-Mansell da Rena do Nariz Vermelho - Dezembro

O preço do Sucesso

Esse crescimento fez com a Salt Cover Multi Global Megacom Cyber Tele Incorporation do Brasil, braço do Grupo Cover, procurasse empresas dispostas a rebater seu sinal de teledifusão nos mais diversos rincões desse mundão gigante de Meu Deus.

Não bastava apenas o canal 3 1/2 (aquele entre o 3 o 4) da cidade de São Paulo. O negócio era penetrar país adentro. Sua primeiras afiliadas, a TV Litoral de Minas, de Juiz de Fora, e a TV Cidade Gelada, de Curitiba (nos Estados Unidos do Sul), levaram a essas cidades informação, diversão e claro, bolinhas metálicas. Posteriormente foi lançada a TV Retaguarda, que cobre a região onde a Salt Cover mais precisa. Desde então a Salt Cover coleciona afiliadas Brasil afora assim como os nerds colecionam aqueles cards de RPG que vende em banca de jornal.

São mais de 115 afiliadas sendo 57 com nomes indígenas. E não para por aí, no intúito de conquistar o mundo, as Organizações Cover lançaram o canal Salt Cuever Internacional, e também a Salt Cuever Grêmio, assim cobrindo todo o mapa-múndi do Rio Grande, principal território dos Estados Unidos do Sul, para posteriormente atingir o universo.

Novelas

O conceito de criar padrão gráficos também foi parar na teledramaturgia. A Cover foi responsável por novelas que marcaram época, sem ser trama sobre escravidão, socidade paulistana dos anos 20 ou os anos rebeldes.

Entre os folhetinhos, digo, digo, folhetins da Cover estão grande estórias como:

  • O Cofre

Uma novela em que o desfecho de ninguém abrir a caixa-forte foi surpreendente. Até hoje a cena final onde é revalada a combinação do cofre é lembrada como um momento clássico da televisão brasileira.

  • Colheres de Aveia

Foi a primeira novela a utilizar a recursos de computador para gerar irmãs gêmeas. Mas como a computação gráfica ainda engatinhava nos idos dos anos 90, a sensação de que uma irmã era humana e a outra um robô acabou derrubando a audiência.

  • O Corrupto

De longe o maior sucesso da rede, gerou grande repercussão positiva (entre o público) e negativa (já que a carapuça serviu em muita gente em Brasília). Por essa razão, os atores, autores e autistas da trama tiveram que terminar a novela às pressas, inclusive mudando o nome da trama para Brida.


E o futuro já começou

Os objetivos futuros da Salt Cover, como todos sabem, é uma icógnita. Segundo Alcides Ligado, um executivo que não quis se identificar, a TV Salt Cover pretende desbravar uma nova tecnologia chamada rádio e conquistar também o monopólio de computação gráfica nesse mercado. Em uma parceria com a BBC, da qual o governo britânico não tem conhecimento, a Cover deve ter um frequência em inglês e outra em espanhol, assim atingindo o público dos países mais ricos e instruídos e também de todos aqueles que jogam a Copa América.

Salt Cover Programação

A programação Salt cover foi criada para trazer a família brasileira o mais próximo do que pode se chamar tv de primeira diferente das concorrentes salt cover consegue unir informação esotismo e mais umas loucuras em um único canal acompanhe a programação salt cover.

SEGUNDA A SEXTA

06:00 Um Salto Mortal para o Futuro 06:27 Chaves 06:30 Terlecurso Dormil 07:00 Bom Dia, Brasil, & Companhia 08:00 Mais ou Menos com Mana Aria Praga e Touro José 08:30 VT Zuza (com os desenhos: Turma do Deixa Disso, Zicky Zira X, Jake Short, Jás Peão e Monster Cards) 11:00 VT Salt Covinho (com Os Tiazinhos de Beverly Prace, um bando de garotos que chicoteia e depila as pessoas) 11:30 Everybody loves the Lil’ School of Teacher Raymond 12:00 Praça VT 1ª edição, com Carlos Alnóbrega de Berto 12:30 Jornal Nojo, com Chendra Paglia e Evaristo É 13:00 Jogo Alberto, com Renata Love Van 13:58 Chaves 14:00 Dá uma Pena Ver de Novo: Mulheres Recalcitrantes (2003) 15:00 Seção Já vai Tarde 17:00 Balanço Geraldo Brasil 17:30 Ali Acolá (com os desenhos: Maruto, Pokemão, Tainy Tum, Animanianques e Zicky Zira Rato Laser) 19:00 Bichos Esgotos (estreia) 20:10 Jornal da Cover (apresentação: Cid Nogueira e Celso Enfeitas, entre outros) 21:00 Zicky Zira & os Figurantes Atômicos 22:00 Faixa Nobre (respectivamente: Tela Crente, Terça Móveis, Futebol, A Praça é Deles, Cântico na TV Reprise) 22:30 Faixa Não Tão Nobre Assim (Festival Fepa Pilmes, Caiga quien Custar, Plantão de Notícias Urgente!, A Great Family e Sala do Malandro) 23:00 Jornal da Cover 2a. Edição 00:00 Grita que eu sou surdo, com George Cajurú 01:27 Tele Perguntas (formato original da Cover!) 02:49 Hiper QY (formato da Salt Cuever de Taiwan) 03:82 Insômnia Abrão (fofocas na madrugada, quando as celebridades e os advogados delas estão dormindo) 04:00 Igreja Global do Mundo Globalizado (enfim um pouco de ordem nessa bagunça!) 05:59 Chaves

SÁBADO

06:00 Phestival de Desenhos (também conhecido como “Obrigado, Plêylist do Oíndols Mídia Player) com Zonic Eggs, Tim & Tom, Galaxy Low, Os Batistutinhas, The Nampsons, Lonely Tunes, Femoz e LauLau, Tartarugas Ninjam, Os Racúns, e mais uma pá de coisas. 09:00 Polichope 09:05 Chaves (aqui a gente não dá mole, não!) 10:00 Yellow Woodpecker’s Siege, edição de sábado 10:30 VT Zuza 11:00 Sedentarismo Espetacular 12:00 Jornal Nojo 13:00 Dadá & the Crazy Command 14:00 Programa Paul Gil (com Para quem você tira a cueca, Jogo do Banquinho Falido que Recebeu uma Grana Preta do BNDES e Quem sabe sabe, quem não sabe é uma anta) 15:00 Sacanagem ao Artista, com Paul Gil 16:00 Todo sábado é João Pessoa, com Paul Gil (haja fitas pra arquivar isso aí!) 18:00 Ali Acolá (com Super Vaca, Dividupla e Doraeman) 19:00 Bichos Esgotos (novela) 20:10 Jornal da Cover 21:00 Zicky Zira & os Figurantes Atômicos – temporada 1988 22:00 A Praça é Deles 23:00 Basura Total (com Jacaré Kibe & os Mais ou Menos do Mundo, entre outros) 00:00 Vergalhão Persa 03:00 Nova Delhi contra o Crime 03:30 Tainy Tum 04:00 Árnolde 04:30 Eu, a Pastora e as Crianças 05:00 Jas Peão 05:30 Chaves

DOMINGO

06:00 Terlecurso Dormil 06:30 Igreja Global do Mundo Globalizado 07:30 Ganhe Menos com Jequitinhonha – apresentação Patrícia El Shaddai 08:00 Chaves 10:00 Chapolin 12:00 Turma do Dadá 13:00 Temperatura Mínima 15:00 Argentinão 2008, Torneo Clausura: Carmelitas x Beneditinos – Domingo Fastal nas praças sem futebol 18:00 Aloprando (aquele com um painel cheio de letras e uma roda de bicicleta, que faz um barulhinho quando gira, lembrou?…) 18:30 Todos Contra Mim (o único programa onde 100 pessoas concorrem contra uma só… tá legal, não é o único mais. Mas é uma fiel reprodução da nossa vida real de todos os dias!) 19:00 Cântico na TV 20:00 Ostra Palhões (ano XXXVII) 20:45 Banal, o Show da Dívida 23:00 Tapa Tudo por Pinheiro 00:00 Nova Délhi Contra o Crime 01:00 Clube do Zicky 01:30 Zonic Eggs 02:00 Chamem Ráider Breque RY (muito melhor que o Pau nos Rangers) 02:30 Ultramem (a gente curte mais o Ultrasévem, mas a direção veta porquê remete ao canal concorrente) 03:00 Radar (Informações do trânsito de todas as capitais ao vivo!… Uaahhhh…) 05:00 Os Çubstitutos (o único desenho animado do mundo feito com régua!) 05:30 Chaves – só pra desbaratinar, com episódios cancelados, como “O Dia em que Cortaram a Perna do Chaves” (1998) versão 9 com o Jaimírio.

  • Programação sujeita à mais alterações do que a Ângela Bismark. Em alguns horários podem entrar programas locais ou iogurteiras.

Ligações externas

O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.