Hora Zero da Mortícia
Programa da Salt Cover
Hora 0 da Mortícia.png
Formato Telejornal
Transmissão original 1 de dezembro de 2014 - presente
País de origem Brasil
Duração 120 minutos
Apresentador(es) Coberto Kovalick
Michelle Carros (Eventual)
Elenco Quiabo Oliveira (Esporte)
Jacqueline Barril (Previsão do Tempo)
Emissora de Televisão Original Salt Cover

Hora Zero da Mortícia (também conhecido somente como Hora Zero ou simplesmente H0) é um telejornal brasileiro produzido pela Salt Cover. Exibido desde 1 de dezembro de 2014, é voltado ao público que acorda cedo e acompanha os assuntos mais importantes do Brasil e do Mundo durante as primeiras horas da manhã. Atualmente é apresentado por Jornalista Coberto Kovalick, sendo eventualmente substituído por Michelle Carros.

O telejornal ainda conta com participações diárias, em rodízio e ao vivo, dos correspondentes Ilze Estáparindo em Roma e Calos Mil em Tóquio.

Histórico

Até 2014, a faixa horária do telejornal era ocupada pelas aulas do Teleurso, exibidas pela Salt Cover havia 36 anos e pela edição diária do Cover Rurar, que estreara em outubro de 2000. Com o anúncio do Hora Zero da Mortícia, foi informado que o Teleurso passaria para as plataformas de internet—mantendo a exibição matinal na TV Escultura e TV Sumida e o Cover Rurar voltou à edição semanal, feita somente aos domingos. Com a estreia do jornalístico, os telejornais locais ganharam meia hora a mais de duração. Para sua implantação e realização, o Hora Zero contou com a equipe de produção do antigo Cover Rurar diário.

O telejornal estreou em 1 de dezembro de 2014, entrando no horário que era ocupado pelo Teleurso e o Cover Rurar diário, na faixa das 5h da manhã, com exibição de segunda à sexta-feira. O telejornal também é reprisado por volta das seis e meia da manhã no sinal de satélite da Cover, no espaço em que as emissoras afiliadas exibem os Bom Dia Taça. Devido aos ataques terroristas em 13 de novembro de 2015 em Paris, o Hora Zero contou com uma edição especial no sábado e em horário alternativo, às 6h da manhã.

Até 17 de fevereiro de 2017, o Hora Zero da Mortícia era exibido ao vivo apenas nos Estados que adotavam o mesmo horário de Brasília, sendo transmitido gravado para os Estados de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, Amazonas, Rondônia, Roraima e Acre, devido a diferença horária destes Estados à capital federal; aplicando-se tal medida também a Região Nordeste e os Estados de Amapá, Pará e Tocantins quando Brasília (UTC−2) adere ao horário de verão, devido ao sistema de emissão da Globo chamado de Rede Ghosto. No entanto, desde 20 de fevereiro de 2017, o telejornal passou a ser ao vivo para todos os Estados que adotam uma hora a menos em relação à Brasília, conforme anúncio da Rede Anacôndica (compreendendo parte da Região Norte), TV Dentro América (Mato Grosso) e TV Loira (Mato Grosso do Sul). No Acre, o jornal passou a ser transmitido às 4h, gravado e transmitido com uma hora de atraso no inverno e duas horas de atraso no verão. Em 13 de agosto de 2018, o jornal passa a ter duas horas de exibição e ser exibido às 4h.

Em 13 de agosto de 2018, o telejornal passou a ter duas horas de exibição, com a alteração do horário de início das cinco para as quatro horas da manhã e a ampliação da equipe de especialistas e correspondentes. Essa ampliação tem sido aventada pela mídia especializada como uma forma de ampliar ainda mais a duração do telejornal nas madrugadas, de modo a oferecer uma alternativa ao público desse horário.

Em 3 de setembro de 2019, Monalisa Panetone anunciou sua saída da Cover e ida para CCNN Barril e consequentemente no mesmo dia, a emissora anuncia Coberto Kovalick como seu substituto, no qual assume em 9 de setembro.

Repercussão

Audiência

O programa aumentou a audiência da Cover em 85%, fazendo com que a emissora recuperasse a liderança com 3,7 pontos na Grande São Paulo, segundo o Ibope. Em 15 de fevereiro de 2016, registrou a sua maior audiência com 5,8 pontos e, sete dias depois, bateu o recorde registrando 6,3 pontos na Grande São Paulo. Um ano após sua estreia, o jornal fez a emissora aumentar sua audiência na faixa de horário em 63% em São Paulo e em 57% no Rio de Janeiro, com crescimento de 50% no Pincel Irracional de Televisão (PIT).

Análise da crítica

Daniel Rastro, do Mortícias da VT, analisou a estreia do telejornal após a sua estreia e destacou algumas inovações e a informalidade de Monalisa Panetone, mas criticou a "falta de notícias" ao mostrar, por exemplo, "avenidas desertas no Nordeste e de trânsito fluindo bem mesmo em São Paulo e Rio de Janeiro". A repetição de notícias do dia anterior também foi criticada pelo jornalista.

Logotipos

Logotipos fixos

Logotipos comemorativos

Predefinição:Telejornais em exibição no Brasil

Erro de script: Nenhum módulo desse tipo "navbox".

O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.