FANDOM


Grupo Pandeirantes de Comunicação (comumente referido apenas como Grupo Pandeirantes) é um conglomerado de mídia brasileiro criado a partir da inauguração da Rádio Bandeirantes (primeiro veículo de comunicação do grupo), que entrou no ar em 6 de maio de 1937. O grupo foi fundado pelo empresário paulista João Jorge Saad,[nota 1] que assumiu o comando da emissora de rádio das mãos de seu sogro, o político Ademar de Barros. Desde 1999, o conglomerado é presidido por Johnny Saad, filho de João Jorge, que assumiu essa função na empresa após falecimento de seu pai.

A empresa atualmente é composta por diversos negócios, principalmente na área de mídia, sendo que eles incluem duas redes de televisão aberta, um canal via satélite aberto, quatro canais de televisão por assinatura, cinco redes de rádio, cinco estações de rádios locais independentes, duas publicações impressas, uma gravadora, negócios de eventos e de tíquetes, empresas de mídia digital, uma empresa distribuição de mídia, além de atuar com o mercado de out of home.

História

Os primeiros anos

Arquivo:Ademar de Barros.png

A história do Grupo Bandeirantes de Comunicação inicia-se com a criação da PRH-9, Sociedade Bandeirante de Radiofusão, fundada por José Nicolini em 6 de maio de 1937, na cidade de São Paulo.[1][3][4][5][6] A emissora foi criada por Nicolini, seguindo seu sonho, para "lançar aos ares de Piratininga as ondas sonoras de programas finamente escolhidos".[1][4] A emissora posteriormente adotou o nome "Rádio Bandeirantes", no plural, e foi vendida ao empresário da mídia Paulo Machado de Carvalho em 1945, fazendo com que a rádio fizesse parte do grupo das Emissoras Unidas.[1][4][7]

Dois anos após a aquisição da emissora por Paulo Machado de Carvalho, em 1947, a rádio é novamente vendida, dessa vez para o político paulista Ademar de Barros.[8] No mesmo ano, Ademar de Barros transfere o controle da rádio para seu cunhado, o empresário João Jorge Saad.[8] Saad, que trabalhava como mascate, só assumiu a emissora após muita insistência de seu sogro.[8] A rádio passa a ser definitivamente de Saad em 1951.[8]

Décadas de 1950 e 1960

Arquivo:Pelé vs swedish defenders 1958.jpg

A história do grupo com a televisão se inicia em 1952, quando o governo federal, comandado por Getúlio Vargas, outorga ao grupo uma concessão para a instalação de uma estação de televisão em São Paulo.[9] Tal concessão, embrião da futura TV Bandeirantes, foi revogada no governo de Juscelino Kubitschek, mas ela acabou sendo recuperada em 1964, durante o governo João Goulart.[8]

Para transmitir a Copa do Mundo FIFA de 1958, a Rádio Bandeirantes forma a Cadeia Verde Amarela, uma rede de emissoras de rádio independentes que foi criada com o objetivo principal de transmitir as partidas da competição futebolística.[7][10] A rede integrou, na época, 400 emissoras de rádio em todo o país e atingiu 90% da audiência em São Paulo, o maior índice de audiência marcado na história da emissora.[11]

Arquivo:Jardim Leonor Morumbi.jpg

Em 1961, a construção do Edifício Radiantes, localizado no distrito do Morumbi, é iniciada.[1][7][8] O edifício, que foi apelidado como "Palácio Encantado", foi o primeiro prédio projetado para abrigar uma estação de televisão na América Latina.[7][8] A Rádio Bandeirantes se muda para o local em 1965.[11][12] A construção é inaugurada definitivamente em 1967, quando a TV Bandeirantes entra no ar.[1][8][13]

Dois anos após a sua inauguração, o edifício sofre um incêndio de grandes proporções, que atinge fortemente os seus equipamentos.[1][8] O prejuízo do incêndio para a TV Bandeirantes foi muito grande, devido a emissora não ter feito um seguro.[8] A emissora se manteve no ar com um caminhão de externas, e transmitiu seu próprio incêndio.[1][7] Para repor o que foi perdido no incêndio, a emissora compra novos equipamentos, mais modernos e em cores.[1][8]

Décadas de 1970 e 1980

As transmissões definitivas em cores se iniciam em 1972, em cadeia com as outras emissoras, que transmitiram a Festa da Uva direito de Caxias do Sul.[1][7][8] Para transmitir em cores, a TV Bandeirantes contou com apoio da rede norte-americana NBC, que lhe ofereceu o seu famoso pavão para o ajuste de cores dos televisores em suas transmissões.[7] Para divulgar que está transmitindo em cores, a emissora usa a frase "A imagem colorida de São Paulo" como slogan.[1]

Já em 1974, o Teatro Bandeirantes, situado na Avenida Brigadeiro Luís Antônio, é inaugurado.[7] O espaço foi criado para abrigar os musicais produzidos pela TV Bandeirantes, que havia aumentando o espaço para programa do gênero em sua programação.[7] No ano seguinte, entra no ar a rádio Bandeirantes FM, hoje conhecida como Band FM, sendo uma das primeiras emissoras de rádio FM que entraram no ar.[14]

Ainda em 1975, a TV Vila Rica, de Belo Horizonte, é adquirida pelo grupo.[13][15] Como a adquisição da emissora mineira, inicia-se o processo de formação e de expansão da Rede Bandeirantes.[13][15] A expansão da rede começa a se estender com a fundação da TV Guanabara, que foi inaugurada pelo grupo no Rio de Janeiro, em 1977.[7][15] As transmissões para a rede através de satélite começam a serem feitas em 1982.[15] A emissora passa a adotar o nome "Band" em 1989, junto com o lançamento de uma nova marca.[15][16] No mesmo ano, é criada a Bandsat, primeira rede de rádio via satélite do Brasil.[11]

Década de 1990

Arquivo:Torre da TV Bandeirantes aérea.jpg

No início da década de 1990, a Rádio São Paulo é vendida para o bispo Edir Macedo, fundador da Igreja Universal do Reino de Deus, que tinha acabado de comprar a Rádio e TV Record.[17][18][19] Seis anos depois, em 1996, entra no ar o Canal 21 pelo sinal aberto em UHF, na cidade de São Paulo.[20][21] No final do mesmo ano, a nova torre de transmissão do grupo em São Paulo, chamada de Torre da Band, é inaugurada.[22]

Em 1998, é fundada a operadora de televisão por assinatura TV Cidade, numa sociedade formada junto com o Jornal do Brasil, com o SBT e com as empresas norte-americanas Horizon e Adelphia.[23][24] A operadora foi uma das primeiras empresas a aturarem fora dos sistemas TVA e NET no mercado de TV a cabo.[23] No ano seguinte, o empresário João Jorge Saad vem a falecer, em decorrência de um câncer generalizado.[25][26] Dessa forma, os negócios do grupo passaram a ser administrados por seu filho, João Carlos Saad, mais conhecido como Johnny.[27][28]

Década de 2000

O Canal 21 inicia a criação de sua rede, em 2000, com a afiliação da TV Super, de Belo Horizonte.[29] No ano seguinte, com a criação da central de jornalismo do grupo, o canal de notícias BandNews TV é lançado na televisão por assinatura.[7][30] Um segundo canal por assinatura, o BandSports, com uma programação voltada ao esporte, é lançado em 2002.[30][31]

Arquivo:Converted Double Decker Bus in Exhibition Road South Kensington - geograph.org.uk - 3077797.jpg

Em 2003, o Canal 21 passa a se denominar Rede 21.[32][33] No ano seguinte, o grupo adquire a Rádio Sucesso de São Paulo, concorrente direta da Band FM.[34] A emissora foi transformada em uma filial da nova cadeia de emissoras do grupo, a BandNews FM, rede de rádio all news lançada em 2005.[1][35] No mesmo ano, a rádio Nativa FM, do Grupo Camargo de Comunicação, é incorporada pela empresa.[36] E no mesmo ano, o grupo lança um novo canal, o TV Terra Viva.[30][37]

Numa parceira com a Gamecorp, a PlayTV é lançada em 2006, substituindo a Rede 21.[38] No mesmo ano, fruto de uma parceria com a Gradiente e a TVA, a Band transmite pela primeira vez em alta definição, tendo a Copa do Mundo FIFA de 2006 como o primeiro evento a ser exibido no formato pela emissora.[39][40] No ano seguinte, a Rádio SulAmérica Trânsito é criada, resultado de uma parceira com a MPM Propaganda e a SulAmérica Seguros.[1] Também é lançado o Metro Jornal, através de uma joint venture com a empresa sueca Metro International.[41]

Arquivo:Metro distribution Sadovaya.JPG

Ainda em 2007, a Band Internacional inicia suas transmissões nos Estados Unidos, após o canal ter sido incluído no line-up da operadora via satélite DirecTV.[42] A One Brasil é fundada no mesmo ano.[43] No final desse ano, a Band inicia as suas transmissões digitais na cidade de São Paulo, em um pool formado com as outras emissoras paulistanas, que também inciaram as suas transmissões digitais.[44][45]

Após um escândalo envolvendo a Gamecorp, em 2008, o grupo cancela o contrato de dez anos que tinha com a empresa, fazendo que a Rede 21 volte ao ar.[46][47] Meses depois, o grupo fecha contrato para ceder 22 horas da programação do 21 para a Igreja Mundial do Poder de Deus.[48] No mesmo ano, a rádio Stereo Vale FM é incorporada pelo grupo.[49] Também é lançada a rádio Mit FM, com os naming rights da montadora de automóveis Mitsubishi Motors e com participação da agência de publicidade Africa.[50][51] No mesmo ano, a BandNews FM Campinas é lançada.[52] A TV Minuto é adquirida pelo grupo ainda em 2008.[53]

Em 2009, o grupo cria a holding Outernet, com o objetivo de reunir todos os seus negócios de mídia out of home.[53][54] Também é criado o portal de internet eBand, que concentra todos os veículos do grupo na web.[55][56] Ainda no mesmo ano, o canal pago Sexprivé é criado em parceira com a produtora de filmes pornográficos Brasileirinhas e a Band Internacional é lançada em Angola.[30][57]

Arquivo:Leilalopescrooped.jpg

Década de 2010

A cidade paulista de Ribeirão Preto passa a contar com filiais das rádios Bandeirantes e BandNews FM a partir de 2010.[58][59] Também é criada a Enter, empresa especializada em eventos.[60] A nova empresa passa a organizar a São Paulo Indy 300, nova etapa da Fórmula Indy, feita no Brasil.[61] Ainda no mesmo ano, a Band transmite pela primeira vez em três dimensões (3D), em parceria com a NET e a Sony.[62][63] No final do ano, o grupo adquire o controle acionário da TV Cidade, que no ano seguinte passa a se chamar Sim TV.[64][65][66]

O portal eBand é substituído por um novo, chamado Band.com.br, em 2011.[67] Também em 2011, o grupo organiza e transmite para todo o mundo a edição de 2011 do Miss Universo, que na ocasião foi realizado no Brasil.[68][69] Ainda no mesmo ano, o grupo adquire o controle da Editora Haple, que publica o jornal de classificados Primeiramão.[70][71] A nova iluminação da Torre da Band, desenvolvida pela Philips, é lançada no mesmo ano.[72] A Band Internacional é lançada no Paraguai.[57]

Em 2012, após a Mitsubishi Motors rescindir o contrato que tinha com o grupo, a rádio Mit FM encerra suas atividades.[73] No mesmo ano, o grupo adquire a rádio MPB FM, do Rio de Janeiro.[74][75] O novo canal pago do grupo, o Arte 1, também é lançado no mesmo ano.[76][77] A empresa fecha uma parceria, no mesmo ano, com o provedor de internet UOL, que envolve infraestrutura e conteúdo.[78] Também é lançada uma nova rede de rádio, a Bradesco Esportes FM, criada em parceria com o banco Bradesco.[79][80]

Em maio de 2013, é fundada a Modern Airpoit, empresa formada após o grupo fechar um acordo com o GRU Airport para gerenciar a mídia do Aeroporto Internacional de São Paulo-Guarulhos.[81] Em outubro de 2014, a One Pay é fundida com a Payleven.[82] No mesmo ano, é formada uma joint venture com o aplicativo de streaming de música Rdio, fazendo com que o grupo tivesse participação nas operações da empresa no Brasil.[83] Também em 2014, são transferidas 100 torres de transmissão de propriedade do Grupo Bandeirantes para a Highline Broadcast, empresa na qual o grupo detém 40% de seu capital.[84]

No dia 18 de maio de 2015, a rádio Ipanema FM encerra suas operações no dial FM através 94.1 MHz (que passou a retransmitir a Rádio Bandeirantes), mantendo-se no ar através da internet.[85] No final do mesmo ano, a operadora de TV por satélite Sky adiciona as rádios do Grupo Bandeirantes em sua grade de programação, sendo elas a Band FM, a BandNews FM, a Nativa FM e a Rádio Bandeirantes.[86] Em 14 de março de 2016, entra no ar a Brasil Radio,[87] estação de rádio em Orlando, Flórida, rádio na qual o grupo mantém uma programação voltada aos brasileiro que moram ou vistam a cidade dos Estados Unidos.[88]

A partir de julho de 2016, a SulAmérica Seguros deixa patrocinar a rádio do grupo que levava o naming right da companhia, fazendo com que a emissora se denomine apenas como "Rádio Trânsito".[89] Posteriormente, a Caçula de Penus fechou uma parceira para passar a ter o seu nome ao lado do da rádio.[90] No final do mesmo ano, o grupo inicia uma parceria de conteúdo com o jornal The New York Times, na qual deu origem aos programas Conexão com The New York Times, no BandNews TV, e Magazine Arte 1 com The New York Times, no canal Arte 1.[91]

Em fevereiro de 2017, a rádio MPB FM sai do ar em 90.3 MHz, cedendo seu espaço no dial para a BandNews FM do Rio.[92] A antiga frequência da filial carioca da BandNews (concessão de propriedade do Grupo Fluminense de Comunicação),[93] foi mantida com parte programação da rádio noticiosa ao lado de uma grade de expectiva para a estreia da Alpha FM Rio,[94] lançada em junho numa parceria com o Grupo Camargo de Comunicação.[95] No mesmo ano, a Bradesco Esportes FM encerra as atividades de suas filiais remanescentes em São Paulo e no Rio de Janeiro.[96] No lugar da programação esportiva da rádio, as estações do Rio e de São Paulo colocaram no ar, respectivamente, a Rede do Bem FM (posteriormente ocupada por uma programação musical)[97] e a Rádio Globo[98] (frequência inicialmente ocupada por uma programação de música sertaneja).[99]

Empresas do grupo

Radiodifusão

Televisão aberta

Televisão por assinatura

Redes de rádio

Emissoras independentes

Mídia impressa

Mídia digital

Out of home

Outras empresas

  • Band Content Distribuition — distribuição de conteúdos.[124]
  • Band Music — gravadora.[125]
  • Enter — promotora de eventos.[126]
  • payleven — empresa de pagamentos online.[127]
  • TkT1 — venda de ingressos.[128]

Erro de citação: existem marcas <ref>, mas nenhuma marca <references/> foi encontrada
Erro de citação: existem marcas <ref> para um grupo chamado "nota", mas nenhuma marca <references group="nota"/> correspondente foi encontrada
O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.