FANDOM


Predefinição:Título em itálico

Colheres de Aveia
Colheres de Aveia (1993).png
Informação geral
Formato Telenovela
Gênero drama
romance
suspense
Duração 50 minutos
Criador(es) Ivani Cinzeiro
País de origem Brasil
Idioma original português
Produção
Dire(c)tor(es) Lobo Inca
Produtor(es) Lobo Inca
Elenco
Tema de abertura "Messi com Manjar", Perdeu Gomas
Tema de
encerramento
"Messi com Manjar", Perdeu Gomas
Exibição
Emissora de
televisão original
Salt Cover
Formato de exibição 480i (SDTV)
Transmissão original 1 de fevereiro – 25 de setembro de 1993
Nº de episódios 201
Cronologia
Programas relacionados Colheres de Aveia (1973)
O Engraçado
{{#if:Colheres de Aveia (1993).png

Colheres de Aveia é uma telenovela brasileira produzida e exibida no horário das 18 horas, pela Salt Cover, de 1.º de fevereiro a 25 de setembro de 1993, em 201 capítulos, substituindo Despedida de Banqueiro e sendo substituída por Sonho Seu. Foi a 44ª "novela das seis" exibida pela emissora. Escrita por Ivani Ribeiro, com colaboração de Solange Castro Neves e direção de Wolf Maya, Carlos Magalhães e Ignácio Coqueiro, com Wolf Maya na direção geral. O tema de abertura era "Sexy Yemanjá", interpretado por Pepeu Gomes. A trama foi um remake mixado de duas novelas da própria autora – Mulheres de Areia (1973) e O Espantalho (1977), escritas por ela para a TV Tupi e para a RecordTV, respectivamente.[2]

Contou com as participações de Glória Pires, Vivianne Pasmanter, Guilherme Fontes, Marcos Frota, Laura Cardoso, Sebastião Vasconcelos, Paulo Goulart e Susana Vieira.[1]

Produção

Mulheres de Areia foi um remake mixado de duas tramas da própria autora. A história principal era uma versão da telenovela de mesmo título, Mulheres de Areia, exibida pela TV Tupi em 1973, enquanto o restante das histórias paralelas foram extraídas de O Espantalho, escrita por Ivani em 1977 na RecordTV.[2]

Escolha do elenco

De imediato, por seu trabalho como as gêmeas Ruth e Raquel na versão original, Eva Wilma foi convidada por Ivani Ribeiro para estar no elenco, porém devido a estar no ar na novela Pedra Sobre Pedra, não pode aceitar o convite. Ivani queria somente Glória Pires para protagonizar a novela, porém Glória engravidou na época e não pode aceitar o convite. Cogitaram-se, então, Lúcia Veríssimo e Maria Padilha, que tinha acabado de sair da telenovela O Dono do Mundo em 1991. Porém Ivani queria só Glória no papel e se recusou a fazer a telenovela caso ela não protagonizasse. Então, a novela foi adiada mais uma vez e Felicidade (telenovela) acabou sendo esticada em quase 50 capítulos. Walther Negrão foi chamado, então, para escrever a substituta de Felicidade, no espaço que seria a cidade cenográfica de Mulheres de Areia e Despedida de Solteiro (telenovela) foi criada, e Reynaldo Boury e Carlos Manga Filho foram remanejados para Despedida de Solteiro. Inicialmente, cogitou se Cecil Thiré e José Wilker como intérpretes de Vírgilio, porém este ficou com Raul Cortez. Marcos Frota, que estava confirmado como Tonho da Lua quando o remake entrou em pré=produção em 1992, disputou o papel com Angelo Antônio, Eduardo Moscovis e Irving São Paulo, ficando com o papel. Porém, os últimos dois participaram da telenovela como o pescador Tito e o médico Zé Luís, respectivamente. Ivani e Wolf decidiram que o papel era de Glória Pires, porém ela tinha acabado de dar a luz a sua filha e demorou a aceitar o convite. Com a recusa de Glória, cogitaram se Cláudia Abreu, Malu Mader e Carolina Ferraz, que a época era apresentadora do Fantástico para o papel. Porém Glória voltou atrás e aceitou o convite após ler a sinopse da telenovela a pedido do diretor artístico, Paulo Ubiratan. Glória, porém coseguiu liberação para amamentar sua filha nos estúdios, seguindo seu cronograma como mãe. [3]

Reexibições

Foi reexibida pelo Vale a Pena Ver de Novo de 25 de novembro de 1996 a 25 de abril de 1997, substituindo Meu Bem, Meu Mal e sendo substituída por A Viagem, em 110 capítulos.[4]

Foi reexibida novamente pelo Vale a Pena Ver de Novo de 12 de setembro de 2011 a 9 de março de 2012, substituindo O Clone e sendo substituída por Chocolate com Pimenta, em 129 capítulos.[5] Durante a exibição desta reprise, o capítulo de número 46, que seria exibido em 14 de novembro de 2011, uma segunda-feira, não foi ao ar devido à transmissão do amistoso de futebol entre Brasil e Egito. Com isso, a reprise, que teria 130 capítulos, fechou com 129.[6]

Foi reexibida na íntegra pelo Canal Viva de 29 de fevereiro a 21 de outubro de 2016, substituindo Despedida de Solteiro e sendo substituída por A Gata Comeu, às 15h30.[7][8][9]

Classificação indicativa

Em agosto de 2011, a emissora teve que adequar a novela para a classificação 'L - Livre para todas as idades", Com isso a primeira adequação foi eliminar a nudez da abertura de Mulheres de Areia e a Rede Globo usou recursos de computação para que os seios de Mônica Carvalho não aparecessem.

Em outubro de 2011, a emissora foi notificada que a trama de Ivani Ribeiro apela para o assédio moral, nudez sugestiva e Predefinição:Dic ao tabagismo e ao alcoolismo. Com isso, a trama conteria cenas inadequadas para menores de dez anos, e a emissora teve que fazer mais cortes, evitando que cenas impróprias para o horário vespertino fossem exibidas, atendendo à classificação "10 anos - Este programa contém cenas inadequadas para menores de dez anos".

Em junho de 2012, logo após o fim da segunda reprise, o Ministério da Justiça reclassificou a trama como inadequada para menores de doze anos, porém isso não impediria sua reapresentação no Vale a Pena Ver de Novo, pois em setembro de 2016 a vinculação horária à classificação indicativa foi derrubada.[10][11]

Enredo

Mulheres de Areia tinha como tema central a rivalidade entre gêmeas. A história se passa na fictícia Pontal D’Areia, cidade do litoral fluminense, para onde Ruth (Glória Pires) retorna depois de passar algum tempo dando aulas na escola primária de uma fazenda (gravada na Fazenda São Fernando em Vassouras[12]). Ruth volta a morar com os pais, Isaura (Laura Cardoso) e Floriano (Sebastião Vasconcelos), e com a sua gêmea, Raquel (Glória Pires). Raquel e Ruth, apesar de fisicamente idênticas, têm personalidades muito diferentes. Ruth é doce, calma e tem um bom coração. Raquel, por sua vez, é egoísta, agressiva e má. Aproveitando-se da semelhança física com a irmã, Raquel planeja conquistar o namorado de Ruth, o bem-sucedido empresário Marcos Assunção (Guilherme Fontes), que se encanta com Ruth quando a conhece em Pontal D’Areia.

Para a tristeza de Ruth, Raquel consegue seduzir Marcos e se casa com ele, interessada somente na fortuna do rapaz. O casamento, no entanto, não impede que ela continue a se encontrar às escondidas com o mau-caráter Wanderley (Paulo Betti), seu namorado. Em determinado momento da história, Tonho da Lua (Marcos Frota) descobre a traição de Raquel. Portador de uma deficiência mental, Tonho alimenta um amor platônico por Ruth, sua protetora, e faz tudo para vê-la feliz. Raquel, por sua vez, o persegue e inferniza sua vida.

A descoberta de Tonho não traz nenhuma consequência para o casamento de Raquel, que convence Marcos de que tudo não passa de um engano. Ruth, por sua vez, não consegue esquecer Marcos e sofre ao ver a irmã casada com seu grande amor. A história sofre uma reviravolta quando Raquel sofre um acidente no mar, é dada como morta, e Ruth assume seu lugar para ficar ao lado de Marcos. Mas Raquel, na verdade, não morreu e planeja voltar e se vingar da irmã.

No meio da trama Wanderley é assassinado e a história torna-se num "Quem Matou". No final, Virgílio (Raul Cortez) não resiste à sua doença e morre. Donato (Paulo Goulart) é preso. Depois de ter armado um golpe para separar Ruth e Marcos, Raquel sofre um acidente de carro e morre. Isaura, que sempre estivera ao lado de Raquel, decide contar a Ruth o plano da irmã para separá-la de Marcos. Isaura revela que Raquel dopou o rapaz e deitou-se ao seu lado para que Ruth acreditasse que os dois haviam dormido juntos. Na ocasião, Ruth flagrou Raquel na cama do amado e rompeu com ele, achando que, mais uma vez, seu grande amor a tivesse traído. Ao saber da verdade, Ruth vai atrás de Marcos e conta que tudo não passou de uma armação de Raquel para separá-los. Os dois finalmente conseguem se entender e, apaixonados, terminam a novela juntos.[13]

Elenco

Elenco principal

(seguindo a exibição da abertura)
Ator / Atriz Personagem
Glória Pires Raquel[14][15]
Ruth[14][15]
Guilherme Fontes Marcos[14][15]
Marcos Frota Tonho da Lua[14][15]
Vivianne Pasmanter Malu[14][16][17]
Humberto Martins Alaor[14][16][17]
Eloísa Mafalda Manuela[14][18]
Paulo Goulart Donato[14][19]
Nicette Bruno Julieta Sampaio (Juju)[14]
Adriano Reys Sampaio[14]
Sebastião Vasconcelos Floriano[14][20]
Laura Cardoso Isaura[14][16]
Daniel Dantas Breno[14][21]
Isadora Ribeiro Vera[14]
Evandro Mesquita Joel[14][22]
Giovanna Gold Alzira[14]
Eduardo Moscovis Tito[14][19]
Thaís de Campos Arlete[14]
Jonas Bloch Walter Hartmann (Alemão)[14][23]
Stepan Nercessian Delegado Rodrigo[14]
Irving São Paulo Zé Luiz[14]
Edwin Luisi Dr. Munhoz[14]
Denise Milfont Vilma[14]
Antônio Pompeo Servílio[14]
Alexandra Marzo Carola[14]
João Carlos Barroso Daniel[14]
Henri Pagnoncelli César[14]
Joel Barcellos Chico Belo[14]
Chico Tenreiro Mathias[14]
Marcelo Mansfield Santiago[14]
Lu Mendonça Do Carmo[14]
Alexia Deschamps Maria Helena[14]
Marco Miranda Duarte[14]
Serafim Gonzalez Garnizé[14]
Germano Filho Ataliba[14]
Fernando José Benvenutti[14]
Oscar Magrini Vitor[14]
Felipe Carone Comendador Jacomini[14]
Apresentando
Ator / Atriz Personagem
Karina Perez Andréia[14][24]
Gabriela Alves Glorinha[14][19]
Maurício Ferrazza Vasco[14]
Toi Bressane Rozendo[14]
Cibele Larrama Luzia[14]
Participação especial
Ator Personagem
Carlos Zara Zé Pedro[14]
Ricardo Blat Marujo[14]
Atores convidados
Ator / Atriz Personagem
Susana Vieira Clarita[14][16]
Paulo Betti Wanderley[14]
Andréa Beltrão Tônia[14][22]
Raul Cortez Virgílio Assunção[14][16]

Elenco de apoio

Ator / Atriz Personagem
Graziela di Laurentis Ruth / Raquel (Dublê de Glória Pires)[14]
Bia Feres Ruth (criança)Predefinição:Carece de fontes
Branca Feres Raquel (criança)Predefinição:Carece de fontes
Wolf Maya Dr. Otacílio Galvão[14]
Totia Meireles Sônia[14]
Ingrid Guimarães Jurema[14]
Luciano Vianna Tavinho[14]
Suely Franco Celina[14]
Mara Manzan JoanaPredefinição:Carece de fontes
Zezeh Barbosa SuzanePredefinição:Carece de fontes
Cleyde Blota Hilda[14]
Dary Reis Bastião[14]
Sônia de Paula Lurdes[14]
Roney Villela Carijó[14]
Suzana Abranches Mariah[14]
Moacyr Deriquém Jacomini[14]
Jorge Cherques Abílio[14]
Renato Rabello editor da revista em que Malu posa nua[14]
Paulo Gracindo padre do casamento de Carola e Zé Luiz[14]
Cláudio Cavalcanti dr. Murilo[14]
Natalia Timberg juíza do julgamento de Ruth[14]
Marcus Vinícius policial[14]
Theresa de Castro Cida[14]
Luciano Rabelo Duda[14]
Ronaldo Tasso Igor[14]
Dayse Tenório Alice[14]
Ênio Santos Joaquim (escrivão na delegacia)[14]
Fabrício Bittar Reginho[14]
Leonardo Miranda Jota[14]
Eliska Altman Krika[14]
Kleber Drable padre João[14]
Ivan Senna médico[14]
Vinícius Marques Daniel (corretor que trabalha na empresa de Virgílio)[14]
Francisco Dantas padre que realiza o casamento de Raquel e MarcosPredefinição:Carece de fontes

Música

Nacional

Predefinição:Info/Álbum Trilha sonora sobe a direção musical de Mariozinho Rocha, produção musical de Roger Henri e masterização de Sérgio Seabra.[25] Na capa está estampada a protagonista Ruth, vivida por Glória Pires. Conta com temas em português, sendo alguns deles em inglês.

Predefinição:Lista de faixas Predefinição:Clr

Internacional

Predefinição:Info/Álbum Trilha sonora sobe a direção musical de Mariozinho Rocha, produção musical de Roger Henri, seleção de repertório por Sérgio Motta e masterização de Sérgio Seabra.[25] A capa é estampada pelo protagonista Marcos, vivido por Guilherme Fontes. Conta apenas com temas estrangeiros, sendo todos deles em inglês. Foi uma das trilhas internacionais que pouquíssimas vezes ou raramente tocou na novela, sendo a maior parte tocada durante o encerramento, o que marcaria as produções televisivas da emissora nos anos 90.

Predefinição:Lista de faixas

Repercussão

Audiência

Em sua exibição original no horário das 18 horas que foi de 1.º de fevereiro a 25 de setembro de 1993 a novela obteve média geral de 49 pontos, excelente para o horário, que na época exigia apenas 35 pontos.[26]

Reprise

Em seu primeiro capítulo de sua segunda reprise, exibido no dia 12 de setembro de 2011, os índices foram os mesmos conseguidos no primeiro capítulo da antecessora da faixa, O Clone, que conseguiu 15 pontos, os índices são satisfatórios para o horário vespertino.

Em seu segundo capítulo, exibido no dia 13 de setembro, os índices caíram, e registrou uma média de 13 pontos.

Em seu terceiro capítulo, exibido no dia 14 de setembro, os índices subiram, e marcou uma média de 16 pontos.

No dia 20 de setembro, os índices caíram mais ainda, registrando uma média de 12 pontos, o índice mais baixo da reprise até então.

No início de setembro até meados de outubro a audiência ficou em baixa, mas logo depois foi reconquistando o público de O Clone e recuperando parte do que havia perdido com a reprise de Sete Pecados, antecessora de O Clone.

No dia 15 de novembro, a audiência foi surpreendente, e registrou 21 pontos com pico de 25.

Em seu último capítulo, exibido no dia 9 de março, registrou média de 19 pontos.[27]

Prêmios

APCA (1993)
Troféu Imprensa (1993)

Melhor Atriz - Glória Pires[29]

Prêmio TV Press (1993)
  • Melhor Atriz - Glória Pires [30]

Erro de citação: existem marcas <ref>, mas nenhuma marca <references/> foi encontrada
O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.